Home Editorial A orquestra sinfônica e a sinfonia

A orquestra sinfônica e a sinfonia

SHARE

A música, este fenômeno que encanta a vida e nos faz felizes, em sua magnitude, pode ser concebida desde a execução solitária de uma gaita de boca até via concerto de uma orquestra filarmônica, e mesmo que o resultado final seja diferenciado, a capacidade de emocionar é a mesma e nos leva a estágios especiais de encantamento.
Tanto o flautista camponês, pelos campos bucólicos em sua solidão musical, quanto o mais elaborado concerto, da mais completa orquestra de múltiplos matizes sonoros, realizam a magnífica magia musical.
Assim é a política, tanto pode um líder isolado realizar e construir em favor da coletividade, como também um conjunto de líderes realizar por esta mesma coletividade.
Assim como na orquestra sinfônica, o conjunto de instrumentos realiza magnificamente o espetáculo e faz com que o objetivo de emocionar seja ampliado e o resultado seja de muito maior valor.
No decorrer da história recente de Aparecida de Goiânia, vivenciamos o surgimento de vários líderes, de variados instrumentistas que, pela coordenação de um maestro competente, no atual momento político, reuniram-se como vários instrumentos a comporem a orquestra sinfônica do quadro político de Aparecida de Goiânia.
São instrumentos de todos os naipes, cordas, metais, percussão, líderes de variados partidos, de variadas frentes, de amplos posicionamentos políticos e ideológicos, todos comprometidos com a realização sinfônica do bem maior da cidade.
O espetáculo está concebido, a partitura da sinfonia já está disponibilizada e neste momento teremos que ter cada músico em sua específica função, executando sua parcela da música para juntos construirmos o espetáculo.
Qual será sua função no concerto?
Estarás participando como complemento indispensável do resultado final da sinfonia ou serás um ruído desafinado do conjunto que deverá ser retirado de cena pelo maestro?
Juntos faremos a orquestra tocar e tocar bem, fazer bonito e realizar sucesso, e todo aquele que não participar dignamente da composição musical deverá ser afastado pela responsabilidade do maestro.