EntrevistaPolítica

“A qualquer momento em que a população de Aparecida de Goiânia entender que é necessário mudar, pode contar comigo”, declara Glaustin da Fokus

Parlamentar, que poderá ser candidato à prefeitura em 2020, tem atuado amplamente na Câmara Federal e se destacado nacionalmente

Glaustin da Fokus afirma estar à disposição para ser o nome de oposição à atual gestão no município

Eleito com mais de 100 mil votos nas eleições de 2018, o deputado federal e empresário Glaustin da Fokus (PSC) destacou, em entrevista exclusiva ao Diário de Aparecida, como tem sido suas atividades em Brasília nos primeiros meses de seu mandato.

Glaustin reforçou que está focado em fazer um bom mandato, que tem participado de importantes comissões e destacou o trabalho do governador Ronaldo Caiado (DEM). O parlamentar não descartou a possibilidade de ser candidato nas eleições municipais do ano que vem para prefeito de Aparecida de Goiânia. Confira abaixo a entrevista completa:

Diário de Aparecida – Para começar, uma curiosidade, como que é ser empresário, pastor e deputado federal?
Glaustin da Fokus – É a primeira vez que eu participo de política. Costumo dizer que nem síndico eu havia sido antes e acabei recebendo um convite do governador do Estado, Ronaldo Caiado, e também do presidente do partido, o pastor Eurípedes, para ajudar a reconstruir o nosso Estado e a fazer parte dessa mudança que o Brasil está passando, colocando a limpo muitas coisas ruins e pesadas que o País está enfrentando, e assim dar uma nova oxigenada nessa política, e nós aceitamos o desafio. Sou evangélico, pastor e em tudo que eu faço na minha vida sempre tem um propósito e esse foi um projeto que eu coloquei diante de Deus: se desse certo, as portas se abririam, e se desse errado, Ele também fecharia as portas para que nada desse certo, porque em algum momento eu iria envergonhar as pessoas, o projeto, o grupo e também a minha família. Sendo assim, entendo que esse projeto é um projeto abençoado, um projeto que é para uma renovação política, para ajudar a reconstruir esse País e para eu colocar minha digital nessa nova construção.

DA – Hoje, o senhor é um empresário bem-sucedido, mas não foi assim no começo, já que veio de família muito humilde. Como foi essa história de vida até chegar aqui?
Glaustin – Na verdade, eu trabalhei aqui em Aparecida de Goiânia em uma das fábricas da Mabel, era carregador de envelope. Na época, tudo era feito por meio de envelope, hoje tudo é eletrônico, mas, na época, como é que você falava com departamento comercial de Marketing? Para isso tínhamos um envelope e colocávamos dentro uma mensagem que chamávamos de memorando e fazíamos um moto itinerário. Eu ficava o dia inteiro andando e entregando envelope. E aí entendi que do outro lado eu tinha uma empresa que vendia os produtos da Mabel. Eu passei por essa empresa, e comecei a dirigir caminhão com 18 anos e meio de idade. Até que um dia, uma das empresas quebrou no Tocantins e eu fui transferido para lá e nós começamos uma gestão diferente, com um modelo diferente de comercializar os produtos, e assim tivemos a oportunidade, graça de Deus, de eles nos entregarem. Eu costumo dizer que eu fui primeiro funcionário da Fokus, foi Deus quem nos confiou uma responsabilidade muito grande. Hoje, estamos em seis Estados, que no são Centro-Oeste, no Norte e também no Sul do Pará, levando produtos e alimentos para mais de 35.000 lojas nessas estradas.

DA – Sobre o empreendedorismo, o senhor sempre diz que essa é uma área que apoia muito. Por quê?
Glaustin – Eu venho dessa base e essa é a minha estrutura, inclusive agora, no Estado de Goiás, teve uma votação em nível nacional em que nós fomos muito contemplados, ficamos em primeiro lugar como o parlamentar mais influente do Estado de Goiás no modelo empreendedorismo, e o que me assegura e me deixa muito confortável com esse assunto é porque no Brasil, algum tempo atrás, era muito difícil de empreender e o governo atual do Estado e também o presidente da República, Jair Bolsonaro, estão muito preocupados com isso. E é disso que os empregos sempre são gerados. Em um negócio médio ou pequeno, você tem em média 30 a 40 funcionários, então, vejo que o Brasil é movimentado também no sentido de gerar riqueza e ao mesmo tempo de gerar emprego, é só dar liberdade para nosso povo brasileiro trabalhar e construir. Disso eu tenho certeza e convicção; meu pai sempre falou que a gente é do tamanho que a gente quer ser. Eu tive um sonho muito grande de um dia ser gerente e de ser chefe, então Deus nos entregou uma responsabilidade. Para todos que têm esse sonho eu digo, vai embora, vai trabalhar que as coisas vão dar certo. Eu sou apaixonado nessa área.

DA – Tem uma frase do senhor, que é “nada resiste ao trabalho”, que tem muito a ver com tudo isso, né?
Glaustin – Nada resiste ao trabalho. Você sabe que as dificuldades elas pintam na vida da gente a toda hora e a todo momento, mas chega uma hora em que o trabalho ganha, e não tem essa de sorte. Se você observar, de vez em quando alguns amigos falam: “Você tem uma sorte, hein? Você ganhou para deputado federal e também tem uma empresa”. Mas ninguém sabe a hora que você acorda de madrugada, fica sem almoço e ao mesmo tempo fica várias noites sem dormir, trabalhando. Eu era uma das primeiras pessoas a chegar na Fokus e uma das últimas a sair. Então, somente no dicionário é que a sorte vem primeiro lugar.

DA – Em relação à política, você tem pretensão de se candidatar à Prefeito de Aparecida de Goiânia?
Glaustin – A resposta que eu te dou é a seguinte: eu posso ter a pretensão, o governo pode querer um projeto dentro de Aparecida, mas quem decide isso não sou eu, não é o nosso grupo, nem as pessoas que andam conosco. Quem vai decidir isso de fato é o povo de Aparecida e a população. Tenho me dedicado muito em Brasília para ser um bom parlamentar, e nós estamos em 23º lugar entre os mais influentes do Brasil, de um número de 513, em apenas oito meses de mandato, sem nunca ter sido prefeito, vereador, nem mesmo síndico. Estamos em comissões importantes, como a CFT [Comissão de Finanças e Tributação], nós trouxemos para Goiânia a Comissão da Reforma Tributária. Então, quem vai decidir o formato político para Aparecida é a população, se ela está feliz e satisfeita com o modelo atual ela vai seguir, e se ela entender que cabe mudança, uma oxigenada, nós estaremos à disposição da população.

DA – Você chegou a dizer que, se o governador não tivesse um bom nome para indicar para a Prefeitura de Aparecida, se colocaria à disposição. Mas aí vem sua preocupação com o trabalho em Brasília e lá se tem a oportunidade de atuar mais amplamente, em nível nacional. Como o senhor vê essa situação?
Glaustin – Eu disse e reafirmo, mas isso não depende apenas do governador ou do presidente. A política no Brasil, ela está mudando. Eu acho que a cada dia que passa política precisa de gestor. Para você ter uma noção, vou falar de salário de deputado federal: eu não sei o que é pegar um salário nesses oito meses, porque você tem pessoas que você acaba ajudando e esse dinheiro vai tudo embora, porque você acaba abençoando algumas entidades, algumas instituições. Então, eu sou o tipo de pessoa que nunca dependeu de política para sobreviver. Abri mão da minha aposentadoria como político, que eu estou de passagem, não sei quanto tempo que eu vou ficar. O que eu reafirmo para você é o seguinte: a qualquer momento em que a população de Aparecida entender que é necessário mudar, pode contar comigo que estarei à disposição, mas se a população entender que deve seguir com o projeto atual, eu saberei respeitar.

 

(Por Julliana Cardoso)

Related Articles

Close