Home Artigo Doença do beijo

Doença do beijo

SHARE

Nesta época do ano, carnaval, muita festa e diversão, são comuns e até compreensíveis alguns exageros. Beijar é muito bom, mas, infelizmente, existem alguns riscos de saúde associados ao beijo, principalmente quando se beija muitos desconhecidos.
A Mononucleose, conhecida como doença do beijo, é transmitida pelo contato com a saliva da pessoa infectada e também através de tosse e espirros; por compartilhar garrafas, latinhas e talheres de pessoa supostamente contaminada pelo vírus Epsteim Barr, que pertence à família do herpes.
A prevalência de idade é entre 15 e 25 anos. O vírus entra e acomete as células do nariz e orofaringe, promove um aumento na produção das células brancas (leucocitose). Causada pelo aumento da produção de linfócitos (linfocitose), a doença pode acometer também o fígado e o baço.
Os principais sintomas da Mononucleose são:
* Febre
* Cansaço
* Dor de garganta
* Aumento dos nódulos linfáticos do pescoço (ínguas)
É um quadro muito semelhante às faringites comuns causadas por outros vírus e bactérias. Em alguns casos, pode ser confundida com uma gripe, por apresentar alguns sintomas semelhantes, tais como dores musculares e tosse.
Dor de cabeça e náuseas são outros sintomas inespecíficos que podem aparecer.
Normalmente, os sintomas surgem 4 a 8 semanas após o contágio inicial e o vírus pode ser transmitido para outras pessoas por até 18 meses.
O tratamento é sintomático, ou seja, não existe uma cura para a doença. Iremos tratar apenas seus sintomas com analgésicos, antipiréticos, relaxante muscular etc.
Os sintomas desaparecem em duas semanas, mas o cansaço físico pode ficar por mais de um mês.
Nas formas mais graves e raras da doença, quando ela atinge o fígado, provoca uma hepatite com icterícia em 20% dos casos e o maior problema é quando ela atinge o baço, provocando um aumento do mesmo (esplenomegalia). Neste último caso, é importantíssimo repouso absoluto, pois existe o risco de ruptura do baço em atividades físicas, levando a uma intensa hemorragia interna e morte.
Se você perceber alguns destes sintomas após este período de festas, faz bem em procurar um atendimento médico, beber muito líquido e ter repouso.
E que agora comece o ano neste nosso Brasil.

Dr. Igor Leonardo Nascimento é odontólogo