Notícia

Governo busca recursos, em Brasília, para implantar Programa Juntos pelo Araguaia

Projeto é uma das prioridades do governador Ronaldo Caiado no setor de meio ambiente. Titular da Semad, Andréa Vulcanis apresenta a parlamentares iniciativa que visa restauração da bacia e solicita emendas para financiamento.

O Governo de Goiás, por meio da secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Andréa Vulcanis, esteve, nesta terça-feira (1º/10), na Câmara dos Deputados com solicitação de emenda parlamentar para financiar o Programa Juntos pelo Araguaia, uma das prioridades do governador Ronaldo Caiado para o setor. Ela se encontrou com parlamentares goianos, de outros Estados e apresentou o plano que visa a revitalização do rio.
O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) já efetivou nota de crédito para que seja iniciado o trabalho de elaboração do estudo de áreas prioritárias para recuperação da bacia hidrográfica do Rio Araguaia e o projeto executivo que visa a revitalização. A secretária Andréa Vulcanis participou, no dia 10 de setembro, no Palácio do Planalto, de reunião de controle do projeto, uma das prioridades do governador Ronaldo Caiado neste setor.
Os recursos já foram transferidos diretamente para a Universidade Federal de Viçosa (UFV), que coordena a elaboração dos estudos de áreas prioritárias e do projeto executivo. O acordo de cooperação para execução do programa Juntos pelo Araguaia envolve os governos de Goiás, Mato Grosso e Federal.
O Juntos pelo Araguaia foi lançado no dia 05 de junho, em Aragarças (GO), com presenças do presidente da República, Jair Bolsonaro, e dos governadores Ronaldo Caiado e Mauro Mendes (MT). Ao longo dos próximos anos, o programa atuará na recomposição florestal, conservação de solo e água, além de ações paralelas nos municípios envolvidos.
Segundo o governador Ronaldo Caiado, o programa é um ambicioso instrumento de recuperação ambiental do Centro-Oeste. “Será maior projeto instalado para recuperar bacias de um rio, não só no País, mas no mundo todo”, afirmou, na época do lançamento. A primeira etapa do programa fará a recuperação de 10 mil hectares da bacia hidrográfica, sendo 5 mil em Goiás e 5 mil no Mato Grosso. O investimento, da parte de Goiás, gira em torno de R$ 250 milhões.
Presidente Jair Bolsonaro, governadores Ronaldo Caiado e Mauro Mendes (MT) durante lançamento do Programa Juntos pelo Araguaia no dia 05 de junho, em Aragarças (GO).
Projeto
Com 2.115 quilômetros de extensão, a bacia hidrográfica do Rio Araguaia banha quatro Estados brasileiros. Diante da importância ecológica, turística, socioeconômica e cultural, o Programa Juntos Pelo Araguaia surge com o propósito de proteger todo esse patrimônio, e também propor novos modelos de desenvolvimento sustentável.
Concebida como uma iniciativa de médio e longo prazos, a ação vai atuar na conservação do solo (como a implantação de bacias de contenção de águas de chuvas e sedimentos), no terraceamento de pastagens e áreas agrícolas (para aumento da infiltração e direcionamento de canais de escoamento superficial) e recomposição florestal de áreas de preservação permanente. Paralelo a isso, serão desenvolvidas ações que vão influenciar diretamente na qualidade de vida da população do Vale do Araguaia.
O projeto conceitual foi desenvolvido pelo Instituto Espinhaço, por meio de acordo de cooperação técnica com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) do Governo de Goiás. Segundo a titular da pasta, Andréa Vulcanis, a expectativa é de que o programa já tenha efeito imediato sob alguns aspectos. “Nos últimos anos, a água do Rio Araguaia diminuiu o volume em 35%. Então, já se espera um aumento da quantidade de água disponível. A médio e longo prazos haverá o retorno da biodiversidade, das espécies, da fauna, de peixes e tudo mais. É um grande projeto e precisa de tempo para produzir resultados”, explica.
Sobre os recursos a serem aplicados inicialmente, Andréa Vulcanis explica que parte da verba, R$ 100 milhões, será repassada pelo governo federal a partir de conversões de multas aplicadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). “E já estamos em busca de outros recursos, sejam internacionais, fundo perdido ou outras fontes. Vamos avançar nesta perspectiva a partir do momento em que o projeto executivo estiver pronto e detalhado”, conclui a secretária.

julliana cardoso

Jornalista formada desde 2012, já fui apresentadora, repórter, produtora e atualmente sou editora chefe de mídias sociais do Diário de Aparecida.

Related Articles

Close