Home Estado Marconi assinará ordem para conclusão da ampliação do Huana

Marconi assinará ordem para conclusão da ampliação do Huana

SHARE

O governador Marconi Perillo afirmou ontem, em entrevista a rádios de Anápolis, que vai assinar, na próxima semana, ordem de serviço para a retomada das obras para conclusão da ampliação do Hospital de Urgências de Anápolis (Huana). Ele foi ao município ontem, acompanhado pela primeira-dama, Valéria Perillo, para visitar a administradora-geral da Santa Casa de Misericórdia, irmã Rita Cecília Coelho, que está internada na UTI da unidade com pneumonia.

O Huana deve dobrar a capacidade de atendimento com a ampliação e reforma da unidade, que receberá 40 novos leitos de enfermaria, 13 de UTI adulto, seis para recuperação pós-anestésica e duas salas de cirurgia. A cozinha, refeitório e lavanderia também serão ampliados. O hospital terá também um heliponto. O governo estadual deve investir aproximadamente R$ 16,2 milhões na ampliação e reforma do Huana.

Marconi ressaltou que ele e a primeira-dama foram prestar solidariedade à irmã Rita, que é “a mãe dos pobres e doentes”, e um dos nomes de maior importância da Saúde de Anápolis. “É uma religiosa que dedicou sua vida à construção da Santa Casa e do Hospital de Urgências de Anápolis, e é uma das pessoas mais caridosas que conheço. Estamos fazendo uma corrente de oração para que ela possa se recuperar e voltar a trabalhar, porque muitas pessoas precisam dela. Mas senti que ela está bem e se recuperando. Tivemos uma boa conversa, e dei a ela a notícia de que na próxima semana vamos dar ordem de serviço para conclusão das obras de ampliação do Hospital de Urgências de Anápolis. Ela ficou muito feliz e espero que se recupere logo para que possamos entregar juntos à comunidade mais esse benefício”, declarou.

O governador observou que a Saúde em Anápolis está amparada pelo Hospital de Urgências, gerido pelo governo estadual por meio de OS, e pela Santa Casa de Misericórdia, que recebe repasse mensal de R$ 500 mil do governo estadual. “Se não fosse o Hospital de Urgências que construímos, e a Santa Casa que o governo repassa recursos mensais e que a Irmã Rita administra, certamente a população de Anápolis e da região Norte do Estado sofreria muito. Na Santa Casa, o governo estadual coloca todos os meses R$ 500 mil para ajudar com despesas de custeio e manutenção, além do custeio do Hospital de Urgências, em que investimos milhões todos os meses”, frisou.